Blog

Parece que vemos tudo a acontecer de novo, crianças, adultos e famílias novamente confinadas à sua casa. E, neste momento, volta-se a pensar em outras formas para entreter os mais pequenos (e os mais velhos) nestas próximas semanas.

O ID está aqui para ajudar. Vamos, então, dar-vos algumas atividades que vão ajudar as vossas famílias a passar melhor estes dias, a promover a relação entre todos ao mesmo tempo que estimulam as competências de comunicação e linguagem.

Aqui vão algumas ideias:

  1. Recortes de Jornal

Uma ideia tão simples, mas que pode ser tão gira. Para isso basta cortar pedaços de jornal, revista e até mesmo folhetos de supermercado (quem nunca lhes quis dar outro uso?) e colar numa folha de papel ou cartolina. Com isto, os pequenos podem fingir tantas coisas, que estão num parque, que vão à praia ou até fingir que vão às compras. Divertem-se ao mesmo tempo que estimulamos a comunicação, a imaginação e o raciocínio lógico. Podem também optar por agrupar os recortes por conjuntos: legumes, frutas, brinquedos, roupas, etc.

  1. Puzzles (Ou Jogos de Tabuleiro)

Dependendo do gosto, da idade ou da motivação de cada criança estas atividades que fazem parte do dia-a-dia, por vezes, são desvalorizadas. Pensemos então nas vantagens destes jogos para o desenvolvimento dos mais pequenos. Quase todos trabalham o raciocínio lógico ao mesmo que estimulam outras competências comunicativas como o “é a tua vez” (primeiro eu, depois tu), a concentração e atenção em atividade. A completar, por exemplo, um puzzle também podemos melhorar a expressão oral da criança. Para tal, basta ir fazendo umas perguntas simples “O que se passa aqui? Onde estão? Quem está aqui? O que achas que vão fazer” melhorando, assim, certas competências a nível do vocabulário, noções espaciais e construção frásica.

  1. Ler um Livro”

Todos nós sabemos das vantagens das crianças ouvirem uma boa história. Para as famílias que não têm esse hábito pode ser uma boa altura para começar. Uma simples história pode ajudar no desenvolvimento da linguagem compreensiva e expressiva. No fim de cada história pode questionar “Quem entra na história? Onde se passa? O que estão a fazer”, promovendo assim a compreensão e expressão da criança. As histórias são tão diferentes e trazem tantas novidades que o próprio vocabulário da criança ganha com isso.

Deixamos também algumas sugestões de livros para lerem:

O Cuquedo, de Clara Cunha: um livro que conta a história do Cuquedo, que anda perdido no meio dos outros animais da selva. Tem um diálogo simples para a criança conseguir replicar facilmente.

101 Pequenas Ações Para Mudar o Mundo, Lonely Planet: com as questões ambientais cada vez mais em foco, este é um livro simples, com muitas imagens em que vão dando estratégias, dicas e conselhos que podemos, todos, usar no dia-a-dia. Divide-se em 3 partes: cuidar dos outros, cuidar do planeta, cuidar de ti. A abordagem perfeita para a altura em que vivemos.

Bola de Caracóis, de Claire Freedman: um livro simples que ajudará os mais pequenos a pensar sobre aceitar todas as diferenças lidando com a diversidade e as características de cada um.

  1. Quem é Quem?

Já todos ouvimos falar. Um jogo que até podemos fazer em casa. Basta colocar uma imagem (ou uma palavra para quem souber ler) na testa e o outro tem de dar pistas para conseguirmos adivinhar o que é. Um jogo tão simples pode ser tão benéfico. Com a nomeação de pistas é ótimo para trabalhar a categorização e caracterização de vários conceitos semânticos.

  1. Vamos fazer um Teatro

A criança tem que escolher uma história, definir as personagens, procurar até adereços ou peças de roupa perdidas nos armários e depois basta apresentar esta história à família (até podem convidar outros familiares por videochamada). Estes teatros improvisados não falham e ajudam a trabalhar a criatividade e imaginação bem como a expressão verbal e organização e construção de frases e diálogos.

  1. Jogo do Stop

Canetas e folhas de papel é o que basta para jogar ao famoso Stop. Pode entrar a família toda e todos gostam. Ajuda no raciocínio lógico, na evocação semântica, o cálculo mental e até a melhorar a competição saudável e o lidar com a frustração.

  1. Mímica

Vai provocar muitas gargalhadas ao mesmo tempo que estimula a criatividade, a interação social, as expressões faciais (a motricidade orofacial agradece) e a comunicação não-verbal.

  1. Fazer um Bolo

Delicioso e divertido. Uma atividade que não desilude, todos gostam de um bolo. Chame os pequenos para ajudar a seguir a receita e a pôr as mãos na massa. Ao mesmo tempo, ajuda os mais novos a organizar e seguir uma sequência de ideias ao mesmo tempo que nomeiam os vários ingredientes e falam sobre a sua utilidade.

  1. Jogo das Caretas

Não falha para divertir qualquer pequeno e graúdo. Ao mesmo tempo que trabalhamos a criatividade, melhoramos também a motricidade orofacial.

  1. Novas Tecnologias

O Mundo agora vive numa Era Digital. Os mais pequenos parece que já nascem ensinados a mexer em tudo o que é telemóveis, tablets e computadores portanto esta opção tinha que cá estar. Apesar das desvantagens que trazem há também muitas aplicações que podem ser muito benéficas e até educacionais.

Deixamos aqui algumas sugestões: Funny Food (tem vários jogos de lógica como puzzles, figuras geométricas e cores), Mundo do Panda (com diversos vídeos, músicas, séries e jogos educativos) e ABC do Bita Portugal (é um abecedário interativo com jogos que estimulam o raciocínio lógico, coordenação motora e reconhecimento das letras).

 

Boas brincadeiras e fiquem em casa, em segurança!

Terapeuta Joana Lucas

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment