Blog

A produtividade é um tema essencial para a sociedade atual, que funciona como um preditor do sucesso ou insucesso das pessoas nas suas atividades. Quer seja em contexto escolar, de trabalho ou até mesmo de atividades de vida diária.

Além disso, a produtividade é um fator capaz de influenciar em grande escala, os ganhos/lucros de uma empresa. Segundo vários estudos, possivelmente é a causa de maior prejuízo no mundo empresarial. Já no meio escolar e académico, as perdas de produtividade podem traduzir-se em danos nos resultados e no percurso académico dos alunos e ou professores. O que muitas vezes leva ao insucesso de alunos e de trabalhadores, sendo que com o acompanhamento adequado, poderiam apresentar melhorias significativas nos seus percursos, o que lhes permitiria alcançar mais eficazmente os seus objetivos.

Assim sendo é de referir que existem alguns estudos que comparam o impacto da saúde mental e da saúde física na produtividade, onde se percebe que os níveis de presentismo (estar no local de trabalho/escola, mas não apresentar rendimento) são consideravelmente mais elevados quando relacionados com problemas de saúde mental; sendo o Stress e a Ansiedade entre os problemas de saúde mental que mais afetam a produtividade dos indivíduos.

Este facto deve-se à dificuldade de identificar os preditores emocionais que incapacitam o bom desenrolar do trabalho/estudo e que se refletem na produtividade. Mas também a um recurso escasso, e por vezes apenas em última instância, se socorrem dos serviços de psicologia e psiquiatria de modo a procurar resolução para esta instabilidade emocional e neuro-cognitiva que afeta notoriamente uma boa parte dos trabalhadores e ou estudantes.

Deste modo, intervir perante os sintomas de ansiedade, stress, burnout e instabilidade emocional pode ter um papel extremamente significativo na melhoria da produtividade. Influenciando diretamente a precessão relativa ao ambiente, às relações de trabalho/estudo, às capacidades individuais, bem como uma melhoria da autoestima, da capacidade de realização e de trabalho eficiente e um consequente aumento da satisfação e bem-estar. O que contribui para uma melhoria da qualidade de vida e da harmonia familiar e profissional. Um local de trabalho organizado, estruturado e eficiente torna-se harmonioso e seguro, criando assertividade dos seus colaboradores.

No ID encontra uma equipa de profissionais que o podem ajudar na sua progressão profissional e individual.

 

Ricardo Ribeiro Silva, Psicólogo clínico (ID)

 

Bibliografia:

Burton, W., Conti, D., Chen, C., Schultz, A., & Edington, D. (1999). The Role of Health Risk Factors and Disease on Worker Productivity. Journal of Occupational and Environmental Medicine, 863-877.

Dewa, C., & Lin, E. (2000). Chronic physical illness, psychiatric disorder and disability in the workplace. Social Science & Medicine, 41-50.

Lim, D., Sanderson, K., & Andrews, G. (2000). Lost Productivity Among Full-Time Workers with Mental Disorders. The Journal of Mental Health Policy and Economics, 139–146.

Sanderson, K., & Andrews, G. (2006). Common Mental Disorders in the Workforce: Recent Findings From Descriptive and Social Epidemiology. Can J Psychiatry, 63-75.

Kessler, R., & Frank, R. (1997). The impact of psychiatric disorders on work loss days. Psychological Medicine, 861-873.

Goetzel, R., Hawkins, K., Ozminkowski, R., & Wang, S. (2003). The Health and Productivity Cost Burden of the “Top 10” Physical and Mental Health Conditions Affecting Six Large U.S. Employers in 1999. JOEM, 5-14.

Hilton, M., Scuffham, P., Vecchio, N., & Whiteford, H. (2010). Using the Interaction of Mental Health Symptoms and Treatment Status to Estimate Lost Employee Productivity. Australian and New Zealand Journal of Psychiatry.

Snyder, C., & Lopez, S. (2002). Handbook Of Positive Psychology. United Kingdom: Oxford University Press.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment